A pressão arterial pode ser vista como um barômetro da saúde circulatória geral. Alguém com pressão alta tem um risco significativamente maior de insuficiência cardíaca, acidente vascular cerebral, doença renal crônica e danos às artérias (semelhante aos danos causados ​​pelo colesterol alto), que podem causar um ataque cardíaco.

Não é diferente para aqueles que atingem a terceira idade. Enquanto quase um em cada três brasileiros sofre de hipertensão, como a pressão alta costuma ser chamada, a pressão sanguínea normalmente aumenta com a idade, especialmente depois que a pessoa passa da meia-idade. Alguém com pressão sanguínea saudável aos 50 anos tem 90% de chance de desenvolver hipertensão mais tarde na vida.

Felizmente, os últimos anos não são tarde demais para assumir um papel ativo na redução da pressão arterial. O controle da pressão arterial pode ser tão simples quanto aumentar a atividade física e regular a dieta. Nesses casos, quando uma mudança no estilo de vida não afeta significativamente a hipertensão, os medicamentos prescritos têm se mostrado muito eficazes na regulação da pressão arterial.

É importante manter o monitoramento da sua pressão com seu médico de cuidados primários, para ter notícias o mais cedo possível sobre mudanças que podem ser perigosas.

O que significa a pressão alta em idosos?

A pressão sanguínea pode ser comparada a uma mangueira de jardim. O coração bombeia sangue por todo o corpo em uma rede de artérias. Quando essas artérias se tornam muito estreitas (muitas vezes causadas pelo acúmulo de placa de colesterol alto), o volume de sangue que as artérias podem manipular é restrito. Como a água em uma mangueira de jardim estreita, as artérias estreitas levam a um aumento da pressão sanguínea, e a pressão alta pode causar danos às paredes das artérias e ao próprio coração. Danos ao sistema circulatório e as complicações que podem resultar dele são a principal razão para manter a pressão arterial em um nível saudável.

Pressão arterial normal para idosos

Mas o que é um nível saudável de pressão arterial? O intervalo exato considerado aceitável pode variar. Para os indivíduos com histórico familiar de hipertensão ou com complicações relacionadas, como a doença renal crônica, é ainda mais importante permanecer em um nível baixo. A leitura da pressão arterial é composta de dois números que medem a pressão em suas artérias quando o coração bate (chamado pressão sistólica) e a pressão nas artérias entre os batimentos cardíacos (chamada pressão diastólica). Uma pressão sanguínea saudável deve medir abaixo de 120/80 (os números representam milímetros de mercúrio).

Intervalo de pressão arterial normal

120/80, embora o risco de doença cardíaca possa começar a aumentar uma vez que a pressão arterial atinja níveis de 115/75.

Pré-hipertensão

Um intervalo de pressão sistólica de 120 a 139 e um intervalo de pressão diastólica de 80 a 89. O diagnóstico com pré-hipertensão proporciona uma oportunidade de trabalhar com atividade física, dieta e possivelmente medicação para reduzir a pressão arterial a um nível saudável. Dentro de quatro anos de diagnóstico com pré-hipertensão, um em cada três adultos entre 35 e 64 anos desenvolverá hipertensão definitiva. Um em cada dois adultos com mais de 65 anos desenvolverá hipertensão definitiva.

Hipertensão no estágio 1

Um intervalo de pressão sistólica de 140 a 159 e um intervalo de pressão diastólica de 90 a 99.

Hipertensão no estágio 2

Pressão sistólica de 160 ou superior e pressão diastólica de 100 ou superior.

Também deve ser notado que a pressão sistólica, que é a pressão sanguínea medida durante os batimentos cardíacos, torna-se cada vez mais importante para os indivíduos com mais de 50 anos. A forma mais comum de pressão arterial nesses indivíduos é uma condição chamada hipertensão sistólica isolada.

Hipertensão em idosos

A hipertensão em idosos pode significar risco de vida, e não pode ser encarada de qualquer maneira. (Foto: ShieldMySenior.com)

O que causa a hipertensão no idoso?

Surpreendentemente, não tem havido muita pesquisa que analise os idosos como uma população separada em termos de controle da pressão arterial. Aconselhamos o monitoramento rigoroso da pré-hipertensão, afim de garantir que ela não tenha um impacto mais sério na saúde. Também advertimos que o aumento da pressão arterial é comum em idosos.

Para uma pessoa de 70 anos, à medida que você envelhece, a pressão arterial sobe um pouco. As pessoas pensam que é porque seus vasos sanguíneos são um pouco mais fibróticos, significando que desenvolvem um excesso de tecido conjuntivo, e há mais danos aos vasos sanguíneos ao longo do tempo. A pressão arterial acima da média nos idosos ainda é uma preocupação, mas deve ainda ser considerado no contexto da idade. Uma pessoa de 40 anos com uma pressão arterial de 150/70 é muito mais propensa a desenvolver complicações da hipertensão do que uma mulher de 70 anos com a mesma pressão sanguínea.

Os fatores de risco para os idosos são muito semelhantes aos da população em geral. Aqueles com maior risco de pressão alta são aqueles que sofrem de obesidade, aqueles que sofrem de diabetes e aqueles com doença renal crônica. De fato, os fatores de risco para a hipertensão são muito semelhantes aos riscos associados ao colesterol alto. Quaisquer restrições ou bloqueios no sistema circulatório afetam negativamente a saúde geral do coração. Mas os rins, o órgão primário que regula a pressão arterial, também correm risco quando a pressão arterial aumenta. A hipertensão grave pode causar doença renal crônica, que por sua vez limita a capacidade dos rins de continuar a regular a pressão arterial. Você pode ter pressão alta que causa doença renal. Ou você pode ter doença renal, e isso causará pressão alta. Mas independentemente de a hipertensão ser simplesmente o resultado de uma predisposição genética ou o resultado de um estilo de vida pouco saudável, ela não precisa significar o fim da boa saúde.

Como manter a pressão arterial no idoso em níveis saudáveis?

Aprender a manter uma pressão sanguínea saudável é surpreendentemente simples. Tal como acontece com outros tipos de saúde circulatória, como o colesterol, o primeiro passo para reduzir a pressão arterial é a mudança de estilo de vida. O exercício é essencial, o controle de peso é essencial. Comer uma dieta pobre em sal é muito importante. As diretrizes internacionais recomendam pelo menos 30 minutos de exercício por dia. Para os idosos, o exercício pode envolver mudanças simples na rotina diária, como andar mais vezes e participar de tarefas domésticas. Além de melhorar a saúde cardiovascular e o colesterol em geral, cuja presença pode aumentar a pressão sanguínea estreitando as artérias, o exercício também pode ajudar na perda de peso.

Relacionado à perda de peso está desenvolvendo uma dieta saudável, outra ferramenta essencial para reduzir a pressão arterial. A nutrição saudável é importante por todas as razões padrão (saúde cardiovascular positiva, energia adicional, etc.) e algumas razões únicas também. Uma dieta baixa em sal é particularmente importante para reduzir a pressão arterial, pois o sal aumenta indiretamente o volume de sangue (adicionando água à corrente sanguínea), o que, por sua vez, aumenta a pressão arterial.

Uma das dietas mais comuns recomendadas para os indivíduos que lutam contra a hipertensão é chamada de dieta DASH, que significa Abordagens Dietéticas para Parar a Hipertensão. A dieta DASH é uma dieta com baixo teor de sódio e baixo teor de gordura que enfatiza frutas, verduras e grãos, e é é o resultado de estudos de governos e instituições e pesquisa.

Em comparação com dois grupos de controle, um que seguiu uma dieta americana “normal” e outro uma dieta tradicional rica em frutas e vegetais, as pessoas na dieta DASH reduziram sua pressão arterial em uma média de 6 pontos de pressão sistólica e 3 pontos de pressão diastólica. As pessoas do estudo que já haviam sido diagnosticadas com hipertensão reduziram a pressão arterial em 11 pontos sistólicos e 6 pontos diastólicos. A dieta DASH mostra a importância da dieta, especialmente uma redução significativa no sal, para reduzir a pressão arterial. Sob a dieta DASH, um indivíduo é aconselhado a comer não mais do que um quarto de colher de chá de sal por dia. Em comparação, o americano médio come cerca de quatro colheres de chá diariamente, quase quinze vezes mais.

Mas, como muitas pessoas sabem, a mudança na dieta e no estilo de vida muitas vezes pode ser muito difícil. A medicação também é uma opção para muitas pessoas, às vezes porque um indivíduo tem dificuldade em alcançar uma mudança significativa no estilo de vida e, às vezes, porque a hipertensão é grave o suficiente para exigir uma combinação de mudança de estilo de vida com medicação. Para muitos, tratar a pressão alta com medicação pode ser um assunto difícil, que deve sempre ser considerado sob a orientação de seu médico.

Medicamentos usados para a pressão alta

A medicação para pressão arterial pode ser categorizada em três grupos principais:

Tiazidiurético

Muitas vezes o primeiro curso de ação em termos de tratamento medicamentoso, esses medicamentos concentra-se nos rins, ajudando o corpo a eliminar o sódio, sal e água.

Bloqueadores beta

Esses medicamentos fazem o coração bater mais devagar e com menos força, trabalhando para reduzir a pressão arterial, concentrando-se no centro do próprio sistema circulatório. Freqüentemente, beta-bloqueadores serão prescritos juntamente com diuréticos tiazídicos (combinação de drogas é uma prática comum que pode reduzir a pressão arterial).

Inibidores da Enzima Conversora da Angiotensina

Comumente prescritos juntamente com diuréticos tiazídicos, os inibidores neutralizam uma substância química natural que reduz os vasos sanguíneos, o que, por sua vez, alivia a pressão nos vasos.

Evidentemente, outros tipos de drogas também podem ser eficazes contra a hipertensão. Encontrar a combinação certa varia com cada pessoa e de acordo com a análise e escolhas do médico do idoso.

Na luta contra a hipertensão, a melhor estratégia é reconhecer os riscos individuais que podem incluir história genética, obesidade ou simples inatividade física, e agir de acordo. Para os idosos, a pressão arterial moderadamente alta pode ser menos grave do que em uma pessoa de meia-idade. Mas mesmo quando a pressão arterial aumenta minimamente após os 50 anos, ainda é importante tomar as medidas adequadas para assegurar a idade sadia. Uma pressão arterial normal é um primeiro passo importante para alcançar a saúde a longo prazo. A hipertensão pode ser um problema comum, mas felizmente tem muitas soluções.

Você tem pressão alta? Como faz para tratar o problema? Quais tratamentos alternativos te auxiliam no controle da pressão alta?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)