Um dos maiores medos das pessoas à medida que envelhecem é perder a nitidez mental, possivelmente desenvolvendo demência, Alzheimer ou outras doenças mentais. É inevitável que o seu cérebro perca parte de sua vibração à medida que envelhece mas, dando a seu cérebro um treino moderado com frequência, você pode ajudar a estagnar o aparecimento de alguns desses problemas.

Benefícios dos quebra cabeças

Foi demonstrado que trabalhar com quebra-cabeças na velhice ajuda a reduzir o risco e a retardar os efeitos da demência entre os idosos. Estima-se que em 2050 haverá 1 bilhão de pessoas com mais de 65 anos, com cerca de 37 milhões delas com algum tipo de doença mental. Com as pessoas vivendo mais e mais a cada geração, e esse número continuará a crescer exponencialmente.

Além dos benefícios para a demência, quebra-cabeças também podem se tornar um exercício social. Idosos podem fazer quebra cabeças com amigos e familiares, usando aquele momento para se conectar e trabalhar a saúde social, algo muito necessário na terceira idade.

Os quebra cabeças são jogos interessantes para idosos

Trabalhar com quebra-cabeças e outros jogos de lógica ajuda a melhorar o raciocínio, a memória e a lógica. Quando comparamos os idosos que usam esses jogos e quebra-cabeças com frequência a um grupo controle, que não recebe treinamento ou estímulo cognitivo com quebra-cabeças e jogos, temos resultados bem positivos. O envolvimento consistente com os quebra-cabeças melhora a memória, mesmo quando os participantes foram testados um ano inteiro depois.

Essencialmente, o cérebro de um indivíduo é parecido com uma massinha de brincar, e pode ser moldado, esticado e alterado. Os psicólogos chamam isso de plasticidade.

Mesmo à medida que envelhecemos, ainda somos capazes de moldar nossos cérebros quando os exercitamos. O exercício melhora as funções cognitivas, variando da matemática à memória, durante toda a vida útil, e pode até beneficiar as funções cerebrais durante os estágios iniciais da doença de Alzheimer. O exercício melhora o crescimento e a sobrevivência de novos neurônios no hipocampo – uma região do cérebro essencial para a memória de longo prazo.

Quebra cabeças e idosos

Os quebra cabeças podem contribuir para a saúde mental do idoso, ajudando a manter a atividade cognitiva em dia e podendo contribuir para a vida social. (Foto: DailyCaring)

Os quebra cabeças promovem uma forma de sinergia entre o cérebro esquerdo e direito, denominada pelos psicólogos como uma “abordagem completa”. Isso pode resultar em melhor memória, aprendizado mais profundo e melhor recuperação. Os quebra-cabeças atraem nossas mentes criativas e lógicas – eles oferecem uma abordagem completa, envolvendo todo o cérebro do indivíduo.

Já havia sido demonstrado que essas tarefas podem desacelerar e até reduzir o aparecimento de demência. Novas descobertas também indicam que existem várias outras vantagens, como melhor coordenação olho-mão e melhor auto-estima, precisamente quando a auto-estima talvez esteja em declínio.

Como jogar um quebra cabeça?

Quebra-cabeças e jogos oferecem uma maravilhosa ferramenta social para pessoas idosas, são atemporais e podem ser jogados por qualquer pessoa – jovem ou velha – não há nada que possa atravessar gerações como bons quebra-cabeças. Quebra-cabeças e jogos instigam interação e comunicação social. Fazer um quebra-cabeça juntos é uma experiência agradável para todos os participantes, ajudando a manter suas habilidades sociais e de comunicação.

Por isso, para jogar um quebra cabeças, é necessário organização. Se você está jogando um quebra cabeças de montar, é importante separar as peças. Deixe o idoso separar as peças como gostar. As estratégias melhores são separar as bordas, que tem um lado reto, ou separar as peças por cores.

Em quebras cabeças mentais, os desafios, é importante primeiro observar o desafio. Explique para o idoso qual o objetivo e como funciona o quebra cabeças. O que é permitido e o que não é. Deixe que o idoso chegue às conclusões e teste o quebra cabeças. Deixe ele mexer e planejar como vai resolver.

Em ambos os casos, quando mais pessoas estiverem envolvidas, deixe elas conversarem com o idoso para chegarem a conclusões. Deixe eles negociarem as soluções e diferentes conclusões.

Quando um quebra-cabeça é finalmente concluído, há um sentimento de satisfação – a dopamina é liberada no cérebro. Trabalhar em quebra-cabeças, portanto, reforça o hábito de usá-los em um ciclo de feedback positivo, essas liberações químicas são tremendamente positivas para qualquer pessoa, jovem ou velha – esses tipos de sistemas de recompensa são muito poderosos para os seres humanos.

Os movimentos motores também são aprimorados ao trabalhar com quebra-cabeças, deslizar, entalhar e colocar peças são benéficos para as pessoas idosas, ajudando-as em tudo, desde segurar objetos a escrita manual, pode ajudar a reduzir a trepidação – facilitando bastante tudo um pouco. A oferta de quebra-cabeças é um exercício cerebral eficaz para jovens e idosos, com inúmeras vantagens, sejam sociais, físicas ou mentais.

Quais os melhores quebra cabeças para idosos que você conhece?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)