Pesquisas mostram que mais idosos e seus cuidadores devem considerar a dança como uma atividade frequente, não apenas como um passatempo divertido, mas também como um método para manter suas mentes e corpos ativos. Encontrar bailes da terceira idade e escolas que promovem encontros de dança para idosos pode ser uma ótima oportunidade social e para a saúde do idoso.

Onde encontrar um baile da 3ª idade?

Um baile da terceira idade pode ser encontrado facilmente nas redes sociais e em jornais e sites de notícia da sua região. Outra maneira de encontrar esses bailes é através de escolas de dança na sua cidade, que promovem esses encontros frequentemente.

Mas por que idosos devem procurar esses bailes? Há benefícios claros para os idosos que participam de bailes e danças.

Minimiza os sintomas da depressão na terceira idade

Um grupo de pesquisadores descobriu que homens e mulheres com transtornos do humor que participaram de um programa de instruções de dançade duas semanas se sentiram menos deprimidos e sofreram reduções significativas em seus níveis de estresse, ansiedade e insônia. Isso inclui, principalmente, benefícios para o convívio social do idoso.

A dança melhora a força e o equilíbrio

Algumas semanas de aulas de dança podem aumentar seriamente a força e o equilíbrio de um adulto mais velho, de acordo com estudos que já foram realizados. A dança provou ser um programa de exercícios seguro e viável para adultos mais velhos. Pesquisadores também observaram uma alta taxa de adesão a um programa de dança, com a maioria dos participantes terminando o regime completo de treinamento de dança de salão.

Baile de terceira idade

Um baile para idosos é uma ótima forma de interação social e de exercícios físicos para os idosos. (Foto: Activities for Seniors)

Reduz a dor nas articulações e rigidez

Adultos mais velhos com desconforto no joelho e no quadril podem trocar seus remédios para dor por sapatos de dança, segundo alguns estudos. Após participar de um programa de dança de 12 semanas e baixo impacto, os participantes com idade média de 80 anos foram capazes de diminuir a quantidade de analgésicos que estavam tomando em 39%.

Os participantes do estudo também foram capazes de se movimentar com mais facilidade – um fator determinante para permanecer independente. Andar um pouco mais rápido pode fazer a diferença suficiente para uma pessoa atravessar a rua mais rapidamente ou ir ao banheiro mais rápido, o que as mantém funcionais e independentes.

Dançar é bom para o coração

Pessoas com insuficiência cardíaca crônica estável podem obter as mesmas vantagens aeróbicas de saúde ao aprender a dançar, como fariam com formas mais tradicionais de exercícios cardiovasculares, como andar de bicicleta ou caminhar, como os estudos concluíram. Ao contrário de outros tipos de exercícios cardiovasculares, a dança não exige necessariamente equipamentos especializados ou configurações de treino, tornando-a uma opção muito mais acessível para quem procura diminuir a pressão arterial e o colesterol e manter um peso corporal saudável.

A dança é boa contra a demência

Quando comparada a outras atividades de lazer, como jogar golfe, fazer palavras cruzadas, ler e andar de bicicleta, a dança parece oferecer a melhor chance de ajudar a evitar a demência. De acordo com um estudo, adultos idosos que dançavam regularmente tiveram um risco reduzido em 76% para desenvolver demência. Os especialistas teorizam que a dança é benéfica para o cérebro porque combina exercícios cardiovasculares com a tomada de decisões em frações de segundo que sobrecarregam nossa rede neural, forçando-a a criar novos caminhos.

A dança também é uma forma universal de exercício e recreação. Todos os idosos com doenças como a doença de Parkinson, demência, câncer, artrite, asma e doença cardíaca podem participar. Pesquisas sobre o uso da dança como terapia para cada uma dessas doenças revelaram uma série de vantagens e muito poucos riscos. No entanto, é sempre importante limpar todos os exercícios com um médico antes de iniciar um novo regime, especialmente para aqueles com condições de saúde pré-existentes.

Considere este o seu convite oficial para dançar com seu ente querido como ninguém está assistindo! A melhor parte é que a dança não precisa incluir aulas ou treinamentos formais. Basta tocar algumas músicas favoritas em casa e deixar a música inspirar seus movimentos.

E aí, o que acham sobre a dança?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)